IMG 0866

O Hilton Cabo Verde Resort manifestaram interesse em conectar-se com as universidades cabo-verdianas como maneira de treinar e capacitar os estudantes na indústria hoteleira, em um encontro realizado no dia 25 de novembro.

O pró-Reitor para as áreas de Tecnologia e Inovação de Dados fez uma breve apresentação da universidade e especialmente dos cursos oferecidos pela instituição de ensino. Arlindo da Veiga sublinhou que a Uni-CV deseja integrar mais estudantes e abrir tanto programas de graduação como de pós-graduações.

A gerente dos Recursos Humanos do Hilton, Tânia Lopes explicou que o primeiro encontro entre os dois estabelecimentos é uma maneira de mapear as áreas comuns e criar uma sinergia. Sublinhou ainda que a indústria hoteleira oferece inúmeras oportunidades para os jovens conhecerem e  desenvolverem as suas capacidades.

A diretora Regional de Recursos Humanos para a África e Oceano Indico, Ellen Lebone afirmou que já efetuou várias viagens pelo mundo a procura de novos talentos, e que por isso reconhece o valor que as universidades tem na criação das habilidades.

Adiantou que os hotéis são lugares que promovem empregabilidade a estudantes de vários cursos, e o Hilton Cabo Verde Sal Resort destaca-se no treinamento e capacitação dos colaboradores. Mostrou-se aberta para realizar workshops e seminários que ajudem os estudantes a conhecerem mais acerca do setor em Cabo Verde.

A equipa reitoral representada pelo pró-Reitor Arlindo da Veiga, o Diretor dos Serviços Técnicos e Informática Henani Chantre e a vice presidente da Escola de Negócios e Governação Elizabete Monteiro mostraram interesse em lançar esta cooperação que trará benefícios a toda a comunidade académica.

Durante o encontro também foram apresentados o Instituto de Língua Inglesa e os programas de estágio do Hilton.

 

Galeria de fotografias

 IMG 0255

A Universidade de Cabo Verde acolheu pela primeira vez o 12.ª Fórum de Gestão do Ensino Superior nos Países e Regiões de Língua Portuguesa (FORGES), tendo como reflexão, os principais temas estruturantes do ensino superior para o desenvolvimento de cada país.

“Agradecemos aos membros da FORGES por escolherem pela primeira vez Cabo Verde para a realização deste grande evento, e não me restam dúvidas de que a atualidade deste tema e a qualidade dos conferencistas que compõem a conferência, permitem que todos saiam mais preparados para enfrentar os desafios que os novos contextos sociais e geopolíticos impõem as instituições do Ensino Superior “, discursou o Reitor da Uni-CV, Arlindo Barreto.

Sob o tema “Desafios do Ensino Superior em novos Contextos Sociais e Geopolíticos”, a 12.ª FORGES reuniu investigadores e instituições de ensino superior de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor, nas instalações da Universidade de Cabo Verde, com interesses mútuos na partilha de aprendizagem e investigação de referência.

Segundo o Reitor, este encontro só terá sentido se encontrar meios ou instrumentos que permitam a realização concreta das ideias traduzidas em objetivos palpáveis, ou seja, “sair da teoria e passar à prática.”

“Em Cabo Verde há sinais claros do esforço por parte do Governo para a materialização de uma política de apoio ao desenvolvimento da ciência e investigação no ensino superior”, sublinhou, referindo-se sobre a assinatura de um contrato programa realizado entre a Uni-CV e o Governo na cerimónia do 16.º aniversário da instituição.

IMG 0241

 Para Eurídice Monteiro, Secretária de Estado do Ensino Superior, o governo de Cabo Verde tem vindo assumindo o compromisso de um ensino superior de qualidade para alcançar metas nacionais de desenvolvimento sustentável, e assinala “prioridade máxima” para formação superior com ciência e financiamento do ensino superior.

“Precisamos cada vez mais de apostar na ciência e de fortalecer o financiamento à formação superior, uma prioridade convergente para todos os membros do governo”, sublinhou.

Tendo em conta a sustentabilidade do ensino superior, Margarida Mano, Presidente da direção da FORGES, referiu que a sustentabilidade deve ser “exigência da sociedade” e naturalmente, para o ensino de formação superior.

“O tema desta conferência apela ao saber viver a novos contextos sociais e geopolíticos com desafios para as pessoas e instituições do ensino superior”.

IMG 0295  IMG 0273

A conferência contou com 181 pessoas inscritas distribuídas por sete espaços geográficos como Angola, Brasil, Cabo Verde, Macau, Moçambique, Portugal e Timor-Leste.

A 12.ª FORGES é uma associação sem fins lucrativos que visa promover uma rede de estudo e investigação na área da gestão e das políticas de ensino superior no âmbito dos países de língua portuguesa, promover a aproximação de toda a comunidade académica, em especial os decisores da política educativa, partilha, aprendizagem e investigação de referência.

 

Galeria de fotografias

editada 2

A Docente e Investigadora da Universidade de Cabo Verde, Vera Alfama, juntamente com os técnicos do Instituto Nacional de Gestão do Território (INGT) estão a participar numa formação em Lubango, Angola, do dia 20 a 30 de Novembro promovido pelo PanAfGeo (Apoio Pan-Africano às Ciências Geológicas e Tecnologia) e dirigida aos cidadãos dos países africanos lusófonos (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe).

O curso denominado “WP-B – Avaliação do Potencial em Recursos Minerais” visa a avaliação do potencial de minérios, minerais industriais e materiais de construção, incluindo inventário de recursos minerais, metodologias inovadoras de exploração e caracterização preliminar de recursos minerais, classificação de reservas minerais e avaliação de depósitos minerais.

Este WP-B tem um papel fundamental de melhorar as capacidades e conhecimentos dos profissionais (existentes e recém-recrutados) que se encontram ao serviço dos Serviços Geológicos Africanos a trabalhar com os recursos minerais. Este curso fornece também  orientações para avaliar as matérias-primas minerais e informações às partes interessadas, clientes e sociedade civil, conforme mencionado nos objetivos específicos da ação.

A formação e o WP-B é liderado pelo Laboratório Nacional de Energia e Geologia de Portugal (LNEG), GeoZS (Eslovénia), PGI da Polónia, com a assistência técnica e científica dos Serviços Geológicos de Angola e o Instituto Geológico de Angola (IGEO). Para mais informações consulte o link: https://panafgeo.eurogeosurveys.org/

 

IMG 0843

A Universidade de Cabo Verde teve um encontro com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), no dia 24 de novembro, para falar da parceria que as duas instituições de ensino tem desde 2019, desta reunião os presentes concordaram em focar em duas áreas estratégicas que são a mobilidade e a investigação.

O Reitor da Uni-CV apoiou a ideia de reforçar a parceria, na medida em que tanto o Brasil como Cabo verde são países irmãos que passaram por muitas experiências juntos.

José Arlindo Barreto sublinhou que o momento é perfeito para lançar e retomar esta cooperação com uma agenda específica e com ações mais concretas, eliminando todos os protocolos que estão na gaveta sem terem a sua devida implementação.

Opinião também partilhada pelo Reitor da Unilab, Roque Albuquerque que ressalvou que a instituição de ensino tem um DNA internacional e, está aberta para a ideia dos professores realizarem Pós-Graduações nesse estabelecimento de ensino.

Mencionou que alguns dos cursos ministrados pela Unilab já contam com grandes avanços e que seria interessante explorar, como, por exemplo, o curso de farmácia que já trabalha com a nanotecnologia e o de medicina que atua em hospitais.

A pró-Reitora para Relações Institucionais e Internacionais da Unilab, Artesima Monteiro salientou que a instituição deseja apoiar na mobilidade de técnicos, docentes e discentes, e que o desejo é criar acordos e constituir grupos de trabalho para que os protocolos sejam colocados em prática.

Por outro lado, o pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, Carlos Henrique Pinheiro sublinhou que a recente mudança política do Brasil favorece uma melhor abertura para parcerias entre a África e o país. Sustentou ainda que o objetivo desta cooperação é o de estreitar as relações entre as instituições por meio do diálogo contínuo. Evidenciou que a pesquisa/investigação merecem ter um melhor foco nesta parceria, na medida em que seria interessante a convivência entre pesquisadores de diferentes países.

Criada em 2010, a Unilab é uma universidade do Brasil cuja missão é integrar o continente africano com o americano, fomentando o desenvolvimento social e económico dos dois continentes.

 

Galeria de Fotografias

 editada

Foi realizado o primeiro encontro presencial do projeto Cretcheu, entre os dias 2 e 4 de novembro, na Universidade de Santiago de Compostela, envolvendo as coordenações de todas as 8 universidades parceiras.

 A Professora e Diretora do CIGEF, Clementina Furtado esteve presente no encontro que serviu para que os/as participantes se apresentassem, conhecessem e partilhassem o que têm sido feito em cada uma das instituições parceiras. Serviu também para a apresentação geral e discussão do projeto, apresentação do website já criado e do draft do projeto de Mestrado a ser submetido para financiamento.

O projeto Cretcheu está na fase de preparação de um Mestrado Internacional que terá foco no estudo dos diferentes tipos de violência contra as mulheres nas zonas rurais, considerando que a oferta para formação é bastante limitada nesta área.

O Mestrado será financiado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Erasmus e será formado por um consórcio de oito universidades, sendo quatro delas europeias e quatro não europeias, nomeadamente o Centro de Investigações e Estudos Superiores em Antropologia Social no México, a Universidade Federal de Paraíba no Brasil, o Centro de Investigação e Formação em Género e Família (CIGEF) da Universidade de Cabo Verde (Uni-CV), o Centro de Estudos da Mulher na Universidade de Bharathiar na Índia. O projeto é liderado pela Universidade de Santiago de Compostela e integra outras três universidades europeias, nomeadamente a Universidade de Vilnius na Lituânia, a Universidade de Calabria em Itália e a Universidade do Minho em Portugal. O mesmo encontra-se na fase de preparação do referido Mestrado. Esta fase terá a duração 15 meses (com início em setembro de 2022), findo o qual, será submetido à Comissão Europeia para financiamento. O primeiro draft deverá estar pronto a 15 de dezembro de 2022.

O encontro foi marcado pela partilha de experiências pelos responsáveis do Projeto Erasmus Mundus master's programme - the European Master in Lexicography – EMLex por María José Domínguez Vázquez- Chair of the Steering Board and Coordinator at the USC e Lola Mosquera Sánchez - EMLex Management at the USC, onde falaram dos desafios, dos pontos fortes e conquistas referentes ao projeto que está a ser implementado há alguns anos. Houve um debate acerca dos procedimentos a serem levados em conta para a elaboração da proposta do Mestrado, os requisitos, os prazos, as modalidades de participação de cada instituição envolvidas e as questões financeiras. Posto isso, a equipa discutiu os próximos passos a seguir para a finalização do desenho do curriculum de mestrado a ser implementado.

Um dos pontos altos do encontro foi a conferência de encerramento proferida por Rosa Arcos Caamaño (Trade Union And Feminist Activist): Feminism and Territory "RURAL   FEMINISM". Rural women in Europe and Galicia. Our contribute to the Feminist Movement, onde ficou evidente o problema de silenciamento, invisibilização e naturalização da violência no meio rural.

No final do encontro foram discutidos os próximos passos para o seguimento do processo de elaboração do projeto de Mestrado e a partilha pela instituição coordenadora, a realização de encontros regulares online, incluindo webinários envolvendo especialistas de outras instituições ligadas ao projeto, as visitas exploratórias ás universidades parcerias e as partilhas de experiências entre as universidades do Sul parceiras do Projeto e estabelecimentos de cooperações bilaterais e multilaterais entre as instituições que ainda não o têm.

 

Para saber mais informações do Projeto Cretcheu consulte o link, Website e twitter.