O Comité Técnico do programa Empreamar Cabo Verde, liderado pela Universidade de Cabo Verde, numa reunião realizada no dia 3 de agosto com os membros do Comité de Gestão, discutiu e aprovou a distribuição de “capital semente” remanescente para mais 3 empreendedores selecionados na 1ª fase do programa Empreamar Cabo Verde.

Nesta fase, as três iniciativas receberam “capital semente” num montante máximo de 10.000 euros, dos quais 75% serão a fundo perdido e 25% sob a forma de crédito, sem juros, a ser reembolsado com um período de carência de três anos, após o início das atividades. O capital reembolsado será utilizado nas próximas edições, visando contribuir para a sustentabilidade do projeto Empreamar Cabo Verde.

Transpomar (Santiago), Tered Pesca e Turismo (Boavista) e Paraíso dos Mariscos (São Vicente) são os outros projetos selecionados que receberam a “capital semente” remanescente, no âmbito do programa de Empreamar CV, financiado pela cooperação espanhola.

O Empreamar Cabo Verde é um programa de empreendedorismo para o setor marítimo no país, que pretende a inovação para o desenvolvimento sustentável das comunidades costeiras de Cabo Verde. Em termos gerais, o programa visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas que dependem da economia marítima, através da implementação de soluções inovadoras.

Reactiva-se a pré-Incubadora II que se enquadra dentro do projeto EMPREAMAR CV, “Emprendimiento y autoempleo para jóvenes y mujeres en el sector de la economía azul en Cabo Verde”, financiado pela Cooperação Espanhola.

 Captura_de_ecrã_2020-07-27_às_00.56.15.png

Na passada quarta-feira a equipa do Empreamar organizou com os promotores e as promotoras da pré-incubadora, uma videoconferência para transmitir a reativação da formação suspendida pela pandemia do COVID-19. Os promotores participantes nesta segunda pré-incubadora, são:

Promotor/a 

Sector de atividade    

Resumo ideia de negócio
Eugenia Brito

 

 

Produtos Turísticos relacionados com a pesca artesanal

 

 

A promotora aposta em fazer um turismo marinho que sirva para diversificar a economia da zona piscatória de Tarrafal de Monte Trigo, unindo a tradição,  a gastronomia local  e a cultura da pesca  artesanal ao Turismo a fim de desenvolver um Eco-Turismo Sustentável.
Andreia Simónica Gomes Ramos Energia Empresa de venda, instalação e manutenção de equipamentos de eficiência energética e energias renováveis. Elaboração de projetos e planos de eficiência, manutenção e instalação de sistemas fotovoltaicos e térmicos, venda de materiais (equipamentos mais eficientes e de baixo consumo, painéis solares e térmicos, entre outros). Principais clientes - empresas com elevado consumo de eletricidade.
Kátia Helena Monteiro Vicente Turismo Empresa que auxilie os pescadores e peixeiras no seu ofício. Possibilitando o fornecimento de gelo para conservar o pescado, lugar de conservação de pescados. Loja para venda a retalho de pescados e produtos transformados. Utilizando a energia fotovoltaica para produção e armazenamento.
Elton John de Pina Delgado Turismo

É mais de que uma escola de mergulho, pois é uma estratégia de desenvolvimento sustentável e integrado, para a valorização e empoderamento das zonas e de sua gente.

As inovações propostas:

-uma  escola de mergulho é enformada por conjunto de projetos sociais específicos e estruturantes com ações educativas sobre uso sustentável do ambiente marinho, que irão ser implementados nas comemorações do dia do pescador, nas colónias de ferias “voltado para o mar”,  com atividades e conversas abertas sobre pesca sustentável, proteção das espécies em vias de extinção, micro plástico, técnicas de segurança marítima e doença descompressiva, feiras de frutos do mar e sensibilizações planejadas e articuladas por forma a construir uma cidadania ecológica.

- Uma escola cujo foco é promover uma cultura de respeito aos direitos humanos, considerando o contexto local, empoderando e valorizando os profissionais do mar reais e potenciais, atuais e futuros, e a comunidade em geral.

Carlos Manuel Ribeiro

Santos

Pescas A ideia inicial passa por adquiri um carro com instalação de frio, comprar peixes nas vendedoras locais e revender para hotéis, pensões, pequenos e grandes restaurantes, cidadãos, cantinas, etc..

Dilma

Monteiro

Turismo A ideia do projeto é a criação de uma empresa nacional permitindo o desenvolvimento local, baseado num turismo ecológico. Trazendo o conceito de passeios usando botes a remo quando perto da costa ou de bote a motor quando longe desta. Com uma maior competitividade neste setor favorecendo os pescadores (usando das suas experiências relativamente aos nossos mares) com um rendimento alternativo.
Geremias Santos Andrade Pesca, Turismo e Energia

A análise de dados sempre foi imprescindível para o sucesso de qualquer negócio e na economia azul o volume de dados que pode ser extraído é amplo e variado e a tomada de decisão e criação de novos projetos nesta temática exige uma análise cuidada e de forma unificada desses dados.  

Essa necessidade em compreender e aplicar os dados disponíveis será o elemento de impacto no crescimento dos negócios ligado á economia marítima em Cabo Verde. Deste modo surgiu-nos a ideia de negócio de criar uma plataforma Business inteligente de recolha de informação útil no mar que pode elevar a operação eficiente e eficaz das organizações que operam no setor marítimo em Cabo Verde. Basicamente com sensores específicos pretende capturar dados soltos e transformá-los em informação útil, auxiliando os gestores nas mais diferentes situações para tomadas de decisões. 

Cabo Verde é banhado pelo mar e o Governo está voltado para o mar, daí torna-se necessários ter dados que possam ser transformados em informação útil que faz melhor intender o sistema de transporte de carga, a sua utilização, o seu papel no desenvolvimento económico, impacto ambiental, bem como outras consequências, a fim de responder de forma eficaz às crescentes necessidades logísticas das empresas. 

A plataforma escalonável vai oferecer uma compreensão mais clara sobre a economia marítima bem como as necessidades do consumidor, o mercado em que o ambiente está inserido e ajudar a traçar novas estratégias de atuação.  

A BISEA pretende apresentar serviços inovadores e de carater relevante para economia marítima Cabo – Verdiana e que pode destacar as seguintes: 

•          Rastreamento de embarcação não tripulada em Cabo Verde (barcos do setor da pesca e turismo) de suma importância para segurança das pessoas em caso de acidente/perda e para a própria fiscalização da pesca em Cabo Verde. Pretende-se monitorizar os barcos de pescas, ou no sector de turismo, através de implementação de um sistema que permita a recolha, tratamento, integração, consolidação, e análise dos dados relevantes, contidos nas mensagens, para que estes possam contribuir para a mais eficaz e eficiente tomada de decisão

•          Medição de temperatura, vibração, direção e velocidade do vento, ph, energia consumida no mar,  etc., para  explorar tudo que possa ser medido no mar para vários fins e vários tipos de cliente/segmentação do mercado. 

Além de medir e fazer o reporte em tempo real pretende criar outros serviços inovadores como:

•          criar algorítmicos preditivos para prevenção e alertas no mar: previsão de tempo para o setor do turismo e pesca evitando acidentes e desastres, prevenção de algas toxicas e o desaparecimento de alguns espécie marinhos a partir de controlo de ph, fiscalização de pescas partir do rastreamento, etc.

•          Outro serviço inovador é consultoria com base na informação recolhida no mar como por ex: avaliação do potencial de energia renovável nos mares de Cabo Verde (Energias das ondas e energia eólica no mar), gestão ambiental dos portos (life cycle assessment) e etc.

 

Depois do impacto ocasionado pelo COVID-19, as ações do projeto financiado pela Cooperação Espanhola viram-se suspendidas. Estando já em uma fase avançada da mesma, bem como em um momento de COVID-19 diferente, se retomam as ações formativas e de mentoria da pré-incubadora.

Esta segunda fase da preincubadora focam-se mais na inovação e sustentabilidade tanto dos projetos como da própria preincubadora. Em termos gerais o objectivo da pré-incubadora é apoiar os empreendedores no processo de toma de decisões sobre o início/implementação da sua ideia de negócio.

De forma específica pretende-se:

  • Analisar a viabilidade da ideia de negócio 
  • Transferir conhecimentos sobre o empreendimento quanto a: planeamento, início/implementação, cooperação, valores e responsabilidades.

Nesta fase da preincubadora, desenvolveram-se actividades de grupo e individuais. Nestas sessões formativas e de mentoria apoiaram-se os participantes tanto em conteúdos coma noutras necessidades ao longo do processo de desenho do plano. Nas mesmas sessões formativas trabalharam-se a componente motivacional e de trabalho em grupo. No entanto, deixaram-se tempo para que os participantes partilhem os avanços dos seus trabalhos com os companheiros e companheiras da pré-incubadora.

A equipa de trabalho constituída por coordenador, formadores, mentores e outros experts, trabalhará forte e em conjunto para reiniciar as acções pendentes da pré-icubadora.

Por último, os participantes terão acesso a reuniões de consulta com os assessores científico – técnicos. A partir das necessidades que serão detetadas pelos mentores, os participantes terão acesso aos técnicos da Universidade, INDP, Pro-Empresa, instituições e outras organizações que possam apoiar a resolver dúvidas, preocupações, informação e dados, etc.

O objectivo geral desta pré-Incubadora é gerar e promover capacidades e habilidades empreendedoras.

A Universidade de Cabo Verde publica a lista de promotores selecionados para a fase de aceleração, no âmbito do Projeto EMPREAMAR CV, primeira edição.

Lista de promotores

thumbnail_Image.jpg

Os empreendedores da 2ª fase do programa Empreamar Cabo Verde, selecionados para a fase de pré-incubação, receberam uma ação de formação cuja o objetivo de apoia-los no processo de tomada de decisão sobre a implementação da sua ideia de negócio. A formação realizou entre os dias 30 e 31 de janeiro, na Escola de Negócios e Governação. 

O Coordenador de Negócios da Embaixada de Espanha em Cabo Verde, Jaime Puyoles, mostrou-se satisfeito com os resultados atingidos até agora com o referido programa, garantindo continuidade do projeto.

Business Intelligence, Marina Tarrafal -Guest House, Enernova, Souvenir Terra Mar, virado pá mar, Aquapesca INTRIP X-land Via são as ideias de negócio selecionadas para a fase de pré-incubação do Programa de Empreendedorismo Marítimo.

A Vice-reitora para extensão universitária, Astrigilda Silveira, lembrou como tudo começou, com a assinatura de protocolo entre a Universidade de Cabo Verde e o Universidade de Vigo, em 2017, com vista a impulsionar a economia marítima no âmbito do programa Empreamar Cabo Verde.

O Empreamar Cabo Verde é um programa de Empreendedorismo para o setor marítimo no país que pretende a inovação para o desenvolvimento sustentável das comunidades costeiras de Cabo Verde. Em termos gerais o programa visa contribuir para a melhoria da qualidade de vida das pessoas que dependem da economia marítima através da implementação de soluções inovadoras.

O êxito desta iniciativa assegura a sua continuidade com novas fontes de financiamento e com a colaboração de novos atores. Atualmente os sócios do programa Empreamar CV são: Universidade de Cabo Verde, INDP (Instituto Nacional de Desenvolvimento das Pescas), Universidade de Vigo – Campus do Mar e a Pró-empresa.  A AECID e a Xunta de Galícia apoiam a iniciativa através de financiamento e apoio técnico e institucional.

Programa

{os-gal-4}

 

empreamarcv1edicacao.png

Enquadrado na ação 3.1 do projeto “Transferência e empreendimento marinho em Cabo Verde como estratégia de crescimento de emprego e desenvolvimento económico, social e ambiental, EMPREENDER EM AZUL” e com objetivos de reforçar capacidades e conhecimentos dos promotores que tiveram sucesso na etapa da pré-incubação e foram selecionados para a fase de aceleração; acrescentar o conhecimento sobre o setor das pescas e identificar potenciais parcerias para a implementação dos seus planos de negócios, quatro empreendedores da primeira edição do projeto EMPREAMAR-CV com ideias de negócios ligadas ao setor das pescas, participam de 20 a 26 de outubro de 2019 num programa de missão/prática/estadias para empreendedores, em Vigo, Espanha.

EMPREAMAR-CV é um projeto que tenta combater o problema de desemprego que afeta o país, mais especificamente a população jovem e as mulheres. Centra-se nas comunidades costeiras e na vulnerabilidade que supõe a grande dependência do setor da pesca artesanal. Prevê-se o aproveitamento sustentável dos recursos marinhos como forma de diversificar as atividades económicas de distribuição e comercialização, ou através de atividades alternativas, como o turismo, a energia e outros serviços ligados ao mar, sempre com o foco na sustentabilidade.

Entre os participantes da missão conta-se com o coordenador-geral do projeto EMPREAMAR-CV, Professor Doutor Ailton Moreira.