IMG 03141111

A Universidade de Cabo Verde celebrou, no dia 21 de novembro, os 16 anos de existência, os seus colaboradores e a comunidade académica receberam como prenda o contrato-programa assinado na cerimónia solene pelo Magnífico Reitor, Ministro da Educação, Vice-primeiro-ministro e Ministro das Finanças. Um marco histórico por se tratar de um acordo inédito nesta dimensão, em que se fixam condições de financiamento da maior Universidade Pública.

O contrato-programa visa materializar a visão do desenvolvimento da Uni-CV, no período 2022-2026, e abarca desde a sustentabilidade financeira da Universidade à transparência nos atos de prestação de contas, passando por políticas de transição ecológica, enérgica e digital. Vai permitir também, de forma faseada e programada, desbloquear o desenvolvimento da carreira do pessoal docente e não docente, apostar num programa de formação avançada de docentes, assim como propõe regulamentar e implementar de políticas de apoios para alimentação, alojamento e saúde dos estudantes e dos colaboradores da Uni-CV.  Os ganhos previstos são muitos e os desafios que se propõem a todos os membros desta academia multiplicam-se.

Na hora de dar voz à celebração dupla, a do aniversário e a da assinatura do emblemático acordo, o Reitor da Universidade de Cabo Verde ressalvou o significado desde momento histórico: “honrar a todos que construíram e tornaram este grande sonho realidade”, adiantando que o trabalho da universidade com a sociedade não para, e a cada dia a Instituição tem se mostrado engajada no desenvolvimento local e regional.

“Para as gerações futuras, queremos uma universidade pública de qualidade, inclusiva e socialmente referenciada”, afirmou José Arlindo Barreto Fernandes, acrescentando que a Uni-CV seguirá defendendo o modelo de instituição dinâmica, pois os impactos tecnológicos, ambientais, humanos e da saúde podem ser vistas tanto no território como além das fronteiras.

Observador atento da realidade cabo-verdiana e mundial, o professor realça que a economia e o bem-estar dependem da qualificação superior da população e da transferência de conhecimentos, e que o momento atual exige que a Uni-CV consolide o seu papel, potencialize a mudança e combata o abandono e o insucesso escolar.

“O sucesso de uma universidade mede-se também pelo sucesso dos seus projetos de ensino no mercado de trabalho, e cada vez mais as escolhas dos estudantes se baseiam nas taxas de empregabilidade”, evidenciou o Reitor.

O Reitor da Uni-CV, especifica que nem todos os projetos podem ser concretizados, no imediato, devido a um cenário de forte crise que se avizinha e exige maior prudência, contenção nos custos, procura de novas oportunidades, despertar do espírito inovador e criativo, assim como a melhoria nos serviços oferecidos. Por isso mesmo, José Arlindo Barreto Fernandes regozija-se com a assinatura do contrato-programa, classificando a parceria como uma “prenda de aniversário e uma boa notícia” que reacendem as esperanças dos membros da academia.

O Vice-primeiro-ministro de Cabo Verde sublinhou que o maior desafio do país é de criar instituições sólidas que foquem o seu trabalho nos três pilares: a ciência, a inovação e a tecnologia. Segundo Olavo Correia, é impossível tornar o país numa plataforma internacional de serviços sem estes requisitos.

“A Universidade é uma das mais relevantes estruturas de qualquer país que se preze” sustentou, antes de considerar a Uni-CV um pilar insubstituível.

Olavo Correia reconhece as necessidades que muitos jovens passam para ingressar no ensino superior e garante que o governo está a estruturar um plano de financiamento para o ensino superior que ajude as universidades do país a resolverem as carências e a superarem os desafios. A segunda figura da hierarquia do governo realçou, também, que “há uma relação de causa e efeito muito forte entre o objetivo que temos para o nosso país e a necessidade de uma aposta determinada e séria nas universidades, na sua qualidade e na forma como elas podem ser servidoras”.

Avançou, ainda, que o executivo trabalha para tornar a internet um bem essencial e permitir aos cabo-verdianos terem o acesso a este bem com uma grande capacidade e velocidade. A novidade do Orçamento de Estado de 2023 é a isenção  do pagamento de impostos para empresas que investem na ciência, uma medida cujo objetivo é impulsionar a investigação no país.

A ideia é que Cabo Verde torne num “país inteligente, com jovens inteligentes, numa plataforma internacional de prestação de serviços”, com jovens que dominam a ciência e a tecnologia, estão preparados para estarem no mundo.

O aniversário da Uni-CV foi celebrado nos três polos, Praia, Mindelo e Assomada, com várias atividades.

 

Vídeo completo do evento

Galeria de Fotografias