Denominada iCUB, a Unidade de Inovação Tecnológica é o mais novo projeto da Universidade de Cabo Verde para a transformação de ideias em projetos, visando à produção de soluções tecnologias à medida das empresas.

Uni-CV-cria-unidade-de-tecnologica-para-desenvolver-solucoes-tecnológicas-a-medida-das-empresas.jpg

Tudo começou quando a pandemia chegou e foram identificados problemas reais à Universidade de Cabo Verde: “Verificamos uma necessidade enorme de adaptar as novas tecnologias ao novo modelo de trabalho”, avançou o Coordenador do iCUB, Aristides Silva. Para colmatar uma lacuna detetada entre o processo de materialização de uma ideia para se chegar à fase de incubação de um projeto, a Uni-CV criou a Unidade de Inovação Tecnológica. 

Aristides Silva, atual Coordenador do iCUB e Professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia, destaca a importância desta iniciativa para a necessidade de materializar uma ideia, que é extremamente abstrata, em algo concreto. Ao consolidar a ideia, desde que seja viável e avaliado pelo júri permanente que esta unidade tem, a ideia é transformada num protótipo, com três perfis de saída.  O perfil principal é a sua incubação na nossa própria incubadoraOutro perfil de saída é ir à procura de financiamento para custear a implementação deste protótipo e uma terceira saída é comercializar diretamente o protótipo para o mercado.

Em 2013, criou-se o Centro de Empreendedorismo e de Prestação de Serviços, que trabalha como incubadora, e o projeto iCUB foi transformado numa unidade de inovação tecnológica, que trabalha precisamente a produção de soluções tecnológicas à medida das empresas.

O Coordenador Geral adiantou que a unidade de Inovação Tecnológica está pronta para acolher ideias dos estudantes, mas também das empresas que querem desenvolver soluções tecnológicas. 

A Unidade de Inovação Tecnológica não é exclusiva de cursos tecnológicos, mas também pode ser de qualquer área científica, desde que possa gerir uma solução de base tecnológica. 

O Coordenador adianta que, neste momento, está a preparar a apresentação dos primeiros projetos à equipa reitoral. “Neste momento estamos à procura de financiamento para apoiar os estudantes”, frisou, Aristides Silva, reforçando que a Universidade de Cabo Verde está a trabalhar de uma forma integrada, desde a materialização de uma ideia em uma sala de aula para seu transporte para dentro do ICUB, materialização da ideia num protótipo, seu encaminhamento para o centro de empreendedorismo”. 

“Quando há necessidade de uma investigação mais avançada, vamos à procura dos centros e unidades operacionais de investigação. Está tudo interligado. Olhando internamente para o nosso ecossistema, a nível nacional, somos um subsistema dentro de um ecossistema nacional. Nós vamos trabalhar para contribuir no ecossistema nacional que está a ser criado pelo Governo, a nível de investigação e inovação tecnológica”. 

A sua sede está no Polo 1 da Universidade de Cabo Verde, mas será brevemente implementado em São Vicente e também em Assomada.