cerimonia_tomada_posse_22x.jpg

José Arlindo Barreto tomará posse como Reitor da Universidade de Cabo Verde, nesta quinta-feira, dia 24 de março, às 15 horas, numa cerimónia a decorrer no Centro de Convenções do Campus de Palmarejo Grande, e que será transmitida em streaming nas páginas de Facebook e YouTube da Uni-CV. 

O até agora Docente da Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes, tornar-se-á assim o 4.º Reitor em 15 anos de história da Universidade de Cabo Verde, perante uma plateia repleta de embaixadores, representantes das instituições nacionais e internacionais, Membros do Governo, responsáveis de instituições de ensino superior de todo o país e de representantes da comunidade académica.

A primeira intervenção da sessão estará a cargo da Professora Judite Medina do Nascimento, Presidente do Conselho da Universidade, seguindo-se-lhe no púlpito a Representante dos docentes Aposentados, Professora Aposentada Adriana Carvalho, a Reitora Cessante, o Reitor da Uni-CV, e o Ministro da Educação, Amadeu Cruz. A alocução final será proferida pelo Primeiro-Ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva.

Será precisamente o Ministro da Educação, perante o Conselho da Universidade, que terá a incumbência de dar posse ao novo Reitor da Uni-CV. Já depois de empossado como Reitor da Uni-CV, será a vez de José Arlindo Barreto que, num evento que será organizado posteriormente, dará posse ao Vice-Reitor e aos Pró-Reitores - que constituirão a sua Equipa Reitoral durante os próximos quatro anos de mandato.

Recorde-se que José Arlindo Barreto apresentou-se ao ato eleitoral para Reitor com um plano de ação que, segundo o próprio, “quer desenvolver uma inteligência crítica na Uni-CV e recolocar a questão da excelência na formação no centro de todas as atenções, bem como a despartidarização do funcionamento académico e aposta na união como triunfo da sua gestão”.

Naquele documento, que antecipava o programa de governo da Uni-CV para os próximos quatro anos, o então candidato apresentava já o rumo da sua governação: “Se for eleito Reitor da Universidade de Cabo Verde, atuarei de forma a garantir a participação ativa de todos, a democraticidade na tomada de decisões e promoverei a autonomia, fomentando a transparência, a coordenação e a obtenção de compromissos nos processos de decisão”.