HumanAI.jpg

A Universidade de Cabo Verde, através da sua Faculdade de Ciências e Tecnologia, promoveu um seminário intitulado “HumanAI: Colaboração entre a cognição humana e máquinas inteligentes”, nesta segunda-feira, 18 de abril, no auditório 102 do edifício 8 do Campus do Palmarejo Grande.

O seminário foi proferido pelo Professor e Investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) Hugo Paredes, que se debruçou sobre a colaboração entre a cognição humana e máquinas inteligentes.

Numa era dominada pela inteligência artificial, muitas tarefas rotineiras executadas por humanos começam a ser eficientemente desempenhadas por máquinas, muitas delas associadas à automação de escritório que esteve na génese do trabalho cooperativo suportado por computador (CSCW) durante a década de 80. De entre os desafios emergentes do CSCW, a colaboração entre pessoas e máquinas assume um papel crucial, num contexto em que as máquinas passam a ser membros efetivos e ativos das equipas de trabalho, com autonomia e inteligência para desenvolver o seu trabalho.

Durante o seminário, foi debatida esta mudança paradigmática e os desafios emergentes nesta estreita colaboração humano-máquina. “A necessidade da cognição humana em processos altamente automatizados revela-se crucial nas tomadas de decisão de situações de exceção ou computacionalmente impossíveis. A qualidade da informação e a sua influência nos processos de aprendizagem automática requerem ajustes para se evitar a convergência para um conhecimento divergente”, avançou o investigador. 

Hugo Paredes apresentou alguns dos mais recentes projetos em que esta perspetiva vem sendo investigada. Um primeiro cenário de aplicação são as alterações climáticas, no qual vem sendo explorada a utilização de crowd computing e citizen science, em diversos projetos de investigação, nomeadamente: o projeto eCSAAP, em que é utilizado crowdsourcing especializado para a anotação semântica de fenómenos atmosféricos extremos; e o projeto ILIAD, cujo recurso a citizen science irá permitir uma aquisição de dados mais ampla e assegurar uma validação de eventos com base em contribuições massivas da comunidade. Um segundo cenário de aplicação é orientado à acessibilidade, em particular as barreiras que os atuais ambientes urbanos, altamente dinâmicos, criam à mobilidade de pessoas com necessidades especiais.

Hugo Paredes é Pró-Reitor para a Transição Digital e Modernização Administrativa na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). É licenciado em Engenharia de Sistemas e Informática (2000) e doutorado em Informática (2008) pela Universidade do Minho. Possui o título de Agregado pela UTAD (2016). É Investigador Sénior do Centro de Computação Centrada no Humano e Ciência da Informação (HumanISE) do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), onde foi Coordenador Adjunto entre 2020-2021.

Galeria de Fotografias