IMG 0059O Instituto de Língua Francesa (ILF) da Universidade de Cabo Verde organizou na sexta-feira, dia 16 de abril, uma cerimónia para comemorar o encerramento do mês da Francofonia, no auditório da Reitoria, no Plateau. O evento visava encerrar este mês especial celebrando mais uma vez a língua francesa e premiar os vencedores do concurso de sketches organizado pelo ILF nesta mesma ocasião.

Estiveram presentes a Sua Excelência o Embaixador de França, Olivier Serot Almeras, a Magnífica Reitora da Uni-CV, Judite Medina do Nascimento, o Diretor do ILF, Abderahim Dia, a Pró-reitora para Extensão Universitária, Maria Lourdes Gonçalves, e a Presidente da Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes, Elvira Reis. O evento contou também com a presença de representantes da APROF (a associação cabo-verdiana dos professores de francês), de professores e alunos do ensino básico e secundário, de estudantes de francês das Forças Armadas de Cabo Verde, e demais convidados. 

Após a receção dos convidados e do público, o evento, conduzido pelo Diretor do ILF, começou com a interpretação do poema Les morts ne sont pas morts, do autor senegalês Birago Diop. Seguiram os discursos da Magnífica Reitora da Uni-CV e da Sua Excelência o Embaixador de França. Após a interpretação de mais um poem(Mon pays est une musique, do autor cabo-verdiano Mário Fonseca), os vídeos dos sketches do concurso foram projetados no auditório e os alunos das escolas Pedro Gomes, Constantino Semedo, Abílio Duarte e Regina Silva receberam os seus prémios. Foram entregues também os diplomas oficiais de DELF para vários alunos das Forças Armadas. O evento terminou com a interpretação de mais poemas e com um sketch em francês interpretado por dois estudantes da Uni-CV.

IMG_3270Instituto_de_Língua_Francesa_organiza_cerimónia_de_encerramento_de_mês_da_Francofonia.jpgDurante o seu discurso, a Magnifica Reitora da Uni-CV, Judite Medina do Nascimento, realçou a importância do francês em todos os níveis de ensino e de formação em Cabo Verde, e insistiu sobre o grande papel que a língua francesa teve e continua a ter no desenvolvimento do país. Disse ainda que num país como Cabo Verde, onde maioria das pessoas “querem sair para poder voltar, é muito importante poder ultrapassar horizontes através do francês”. Lembrou também que a língua francesa está intimamente ligada à estratégia de internacionalização da instituição e que neste sentido, a parceria com a Embaixada de França tem sido essencial e frutífera, em particular para ter o orgulho de dizer qu“os nossos professores de francês foram formados desde a raiz por esta instituição”. Agradeceu assim a colaboração da Embaixada, bem como a participação de todos no evento.


IMG_3283Instituto_de_Língua_Francesa_organiza_cerimónia_de_encerramento_de_mês_da_Francofonia.jpg

Por sua vez, o Embaixador de França em Cabo Verde, Olivier Serot Almeras, regozijou-se da vitalidade da língua francesa em Cabo Verde, e da vontade dos Cabo-verdianos de aprender e praticar o francês. Realçou que daqui a algumas décadas, 90% dos francófonos no mundo serão africanos, e que, portanto, o desafio da educação e da formação é fundamental em Cabo Verde, para a capacitação pessoal e a integração regional em África. Desta forma, insistiu particularmente sobre a importância dos professores, que são os verdadeiros transmissores da riqueza da língua francesa, e dos alunos, que devem continuar a aprender o francês para se enriquecerem e se tornarem mais bem preparados para uma vida realizada e aberta ao mundo.

Galeria de fotografias