politicas inclusiva

A conferência promovida pela Faculdade de Educação e Desporto da Uni-CV, na sexta-feira, 29 de outubro, sobre o tema “Políticas e Práticas de inclusão” teve como objetivo refletir sobre o processo de inclusão no Ensino Superior e o percurso da Educação Especial.

Este evento surgiu no âmbito do Mestrado em Educação Especial, que está a finalizar o primeiro semestre e que teve o seu início em meados de abril. Este mestrado ajudará a colmatar a falta de docentes especializados em Educação Especial e acabar com a exclusão funcional de estudantes que sofrem de necessidades especiais. Quem o diz é a coordenadora do Mestrado e docente da FaED, Aleida Furtado, sublinhando que o mestrado vai trazer importantes mudanças para o Ensino.

A cerimónia de abertura foi presidida pela Reitora da Uni-CV, Judite Medina do Nascimento, que avançou que houve uma mudança na forma como os estudantes com necessidades especiais eram tratados antigamente; sublinha que hoje esses estudantes conseguem aceder ao ensino superior. Reiterou o compromisso da universidade pública de tudo fazer para garantir mais inclusão no meio.

O mestrado conta com estudantes de várias ilhas como Sal, Santo Antão, Boavista e Santiago. Célia Sousa, docente, coordenadora do CRID (Centro de recursos para inclusão digital) foi a fundadora do mestrado, explicou o percurso do Politécnico de Leiria, a universidade que mais acolhe estudantes com deficiência em Portugal. 

João Bernardino Cunha, Presidente da FaED frisa que a Faculdade apoia o mestrado e que esta é uma das formas de responder aos desafios que são colocados diariamente.  

A conferência inaugural intitulada “Os Desafios e as perspectivas de Inclusão na Uni-CV” foi proferida pela Pró-reitora para a Extensão Universitária, Maria de Lourdes Gonçalves, que falou de alguns desafios da Uni-CV, como por exemplo, a inclusão digital, da diáspora e de estudantes com deficiência. Enumerou alguns planos para ultrapassar essas dificuldades, como a redução do custo para o acesso ao ensino superior, o acesso a residências e a elaboração de apoios.  Também falou-se de outros temas como apoio pedagógico aos alunos com deficiência no ensino superior, pessoas com deficiência e a sua inclusão no mundo do trabalho e a inclusão de alunos com NEE no Ensino Regular em Cabo Verde.   

 A conferência contou com a participação de grandes instituições que promovem a inclusão em Cabo Verde, como a ADEVIC, a COLMEIA e a ACARINHAR.