investigadores
Os professores Arlindo Fortes e Vladmir Ferreira, investigadores da Escola de Ciências Agrárias e Ambientais da Universidade de Cabo Verde, apresentaram os resultados de um estudo realizado no âmbito do projeto CV Agrobiodiversity - Climatic changes and plant genetic resources: the overlooked potential of Cabo Verde's endemic flora da FCT/Aga Khan.

Os resultados da investigação foram publicados na revista internacional Foods to Multidisciplinary Digital Publishing Institute (MDPI) e desenvolvidos em colaboração com investigadores internacionais. 

Estes resultados mostram que as espécies de leguminosas são importantes fontes de alimento para reduzir a fome e lidar com a desnutrição. Também desempenham um papel crucial na agricultura sustentável nas ilhas tropicais secas de Cabo Verde.

Este estudo revelou também que 15 espécies são utilizadas como alimento e 5 delas são comercializadas localmente (Cajanus cajan, Lablab purpureus, Phaseolus lunatus, Phaseolus vulgaris e Vigna unguiculata). Destaca-se o papel dessas espécies como fontes de minerais, antioxidantes e componentes nutricionais importantes para a segurança alimentar, especialmente as nativas (Lablab purpureus e Vigna unguiculata), particularmente bem adaptadas ao clima dessas ilhas, apesar de experimentarem os efeitos adversos das mudanças climáticas.

Para melhorar o conhecimento do património de recursos fitogenéticos neste país de rendimento médio, este estudo teve três objetivos principais: (i) fornecer uma lista de leguminosas alimentares; (ii) investigar quais as espécies que são comercializadas nos mercados locais e, com base em pesquisas de campo, comparar as espécies quanto à composição química, fenólica, antioxidante e nutricional; e (iii) discutir o valor agronómico e a contribuição para a segurança alimentar neste arquipélago.

Concluiu-se que o uso sustentável desses recursos genéticos pode contribuir para a redução da fome e da pobreza, atendendo a alguns desafios dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.