Presidente_FAED.jpeg

A Faculdade de Educação e Desporto (FaED) emergiu da reconfiguração do ex-Instituto Universitário de Educação (IUE) em 2018, e tem três eixos: a formação/ensino, a investigação e a extensão; portanto não foge à ambição da própria Universidade. Desde abril de 2018, está a funcionar enquanto Faculdade de Educação e Desporto, integrada dentro da Universidade de Cabo Verde. Atualmente com a sede em Assomada, Cruz Grande, a FaED tem uma delegação na Praia, em Achada Santo António e outro em Mindelo, na ilha de São Vicente. O principal objetivo da Faculdade é a formação dos agentes educativos, com destaque para a formação de professores do ensino básico, que serão preparados para lecionarem do 1º até ao 8º ano de escolaridade. Paulatinamente, poderá vir a oferecer formações também para os outros anos de estudo do ensino secundário até ao 12º ano.

A Faculdade de Educação e Desporto tem por missão a prestação de um serviço público de ensino, investigação e extensão de elevada qualidade que contribua para o aprimoramento dos sistemas educativo e desportivo, o desenvolvimento equilibrado da pessoa humana e o progresso sustentável do país. 

A missão é, portanto, a formação de agentes educativos, não só de professores, mas também de técnicos também. Por exemplo, a Faculdade tem o curso de Ciências da Educação, que prepara técnicos para a área de gestão e supervisão, e para a área de necessidades educativas especiais. Essencialmente, trata-se da formação de agentes para dar resposta ao sistema educativo.

A Faculdade de Educação e Desporto assume a missão, os valores e fins consignados nos Estatutos da Uni-CV, norteando as suas atividades académicas pelos princípios seguintes: 

- A excelência académica, fundada na qualidade, na pertinência e na relevância das atividades de ensino, investigação e prestação de serviços à comunidade, aferidas em função do seu contributo para o desenvolvimento sustentável e a realização individual e coletiva dos indivíduos, grupos e diferentes segmentos da sociedade;

- A centralidade da educação nos processos de transformação e desenvolvimento, combinando perspetivas universais com a realidade, as opções e especificidades nacionais;

- A relevância do desporto no desenvolvimento integral dos indivíduos, mediante a valorização nas diversas modalidades segundo padrões universais 

- A relação indissolúvel entre a docência, a investigação e a extensão, tanto na área da educação como na do desporto, tendo em vista a modernização e a elevação da qualidade das atividades educativas e desportivas;

- A ligação com a comunidade e o desenvolvimento de parcerias com outras instituições nacionais, estrangeiras e internacionais, de natureza pública ou privada, que prossigam fins similares ou complementares, com destaque para as dos países de língua oficial portuguesa e do continente africano.

- A aposta na inovação, empoderamento das pessoas e no empreendedorismo;

- A pluridisciplinaridade, a interdisciplinaridade e a transdisciplinaridade na abordagem dos processos de conceção curricular e dos projetos de formação;

- A promoção dos valores éticos e artísticos e de uma cultura humanista, no respeito da idiossincrasia e da diversidade cultural de comunidades e povos;

O Gabinete da Comunicação e Imagem da Uni-CV esteve em conversa com o Presidente da Faculdade de Educação e Desporto, João Cunha, para conhecer os principais problemas e desafios que a Faculdade tem pela frente, no quadro dos pilares tradicionais da Universidade de Cabo Verde, o Ensino, a Investigação e a Extensão Universitária. 

Com a mudança para a Universidade de Cabo Verde, o Presidente não vê assim uma grande diferença porque o que faziam não era diferente do que estão a fazer agora. “A única coisa que posso dizer é em termos de recursos humanos. Por exemplo, no tempo do IUE, tínhamos de recorrer a várias contratações de professores; hoje já não há esta necessidade porque os professores podem ser mobilizados através das outras Faculdades. Através de distribuição de serviço docente, podemos responder para as outras Faculdades e as outras Faculdades dão-nos resposta em termos de recursos para formação. Tivemos de nos adaptar também aos novos regulamentos da Universidade. Por exemplo, um ganho enorme foi a reorganização dos Serviços Académicos: hoje as informações estão mais disponíveis. Nós continuamos num processo de sistematização de toda a informação, que vem de desde o Instituto Pedagógico para que qualquer ex-estudante que quiser pedir um documento, este esteja disponível no sistema”.

 

Áreas de formação da Faculdade de Educação e Desporto 

Na FaED, enquanto Unidade Orgânica da Uni-CV, oferece cursos de licenciatura para formação de professores em diferentes áreas, nomeadamente: Matemática, Língua Portuguesa e Estudos Cabo-verdianos, Ciências da Terra e da Vida, Educação Artística, Educação Física e Educação de Infância. Também tem cursos de licenciatura de Ciências de Educação com dois ramos: Educação Inclusiva e Educação Social. Depois, tem cursos de pós-graduação para área de Educação Inclusiva e Supervisão Pedagógica. O Presidente adiantou que tem havido muita procura, sobretudo para formação de professores nas diferentes áreas. A Faculdade vem apostando sobretudo no ensino híbrido, de modo a levar o ensino superior a todos os que procuram; João Cunha diz que quanto à “questão das ofertas chegarem às pessoas que estão nas periferias, desde o Instituto Pedagógico passando pelo IUE, nós temos estado a procurar dar resposta, oferecendo cursos sem que os nossos formandos se desloquem das suas localidades ou concelhos, até porque muitos são trabalhadores, sobretudo professores, e não podem simplesmente abandonarem o seu emprego. Por isso, temos levado os cursos para estas regiões”. 

“Temos de ir melhorando do ponto de vista tecnológico, com aposta na formação de professores e de preparação da academia para continuar a desenvolver o ensino à distância. Neste momento, a FaED tem um projeto que nasceu há um ano e que acaba de ter financiamento da cooperação portuguesa. O projeto visa reforçar a formação de professores em matéria de educação à distância”. É um reforço em termos de equipamentos e da equipa de educação à distância da própria Universidade: “não faz sentido fazer um investimento voltado só para a FaED se o Núcleo de Ensino à Distância é da própria Universidade. Queremos apostar nisto e temos em mente o desenvolvimento de um projeto a ser analisado e discutido com os Serviços Técnicos e outros, para melhorar cada vez mais o sistema de educação à distância, não só para a FaED, porque a própria Universidade terá necessidade. A pandemia já veio mostrar claramente que teremos de apostar cada vez mais no ensino à distância”, avançou o Presidente.

"Neste momento, a FaED tem cursos a funcionar completamente à distância, e são cursos através das entradas horizontais: estudantes de diferentes concelhos do país estão matriculados nestes cursos. Neste momento, vai fechar o 2º semestre com os exames finais dos alunos nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências da Terra e da Vida.”

A Universidade já não tem cursos de complemento de licenciatura, mas existe uma prerrogativa na Lei orgânica da Universidade, e o estudante pode entrar com um perfil para completar um ciclo de estudo. Por exemplo, como destaca o João Cunha, “pode ser um professor que tenha um bacharelato, um curso do ex-Instituto Pedagógico: entra, analisamos o seu perfil e de acordo com a área que escolher, ele dará continuidade ao plano de estudo da licenciatura daquela área por um período de 2 anos. Durante 2 anos, ele recebe esta formação desenvolvendo as disciplinas online, com professores a trabalhar sobretudo através da plataforma Microsoft Teams e moodle”.

Toda a política de oferta de cursos é voltada para dar resposta aos desafios do próprio sistema educativo. Para além disto, a FaED está muito ligada à política de formação e capacitação de professores. “Por isso, instalámos a Comissão de Formação Contínua de Professores, uma atividade feita em estreita ligação com a Direção Nacional de Educação, justamente para dar resposta às necessidades do próprio Ministério da Educação em matéria de formação e capacitação dos professores e outros agentes educativos. Creio que desta forma estaremos a responder ao desafio do Governo de Cabo Verde”.

 

Novos desafios para o pilar do Ensino

O primeiro desafio institucional é o de ter condições para acolher e formar as pessoas. É um desafio que não depende apenas da Faculdade, mas também de todas a dinâmica da Universidade. “Esperamos que sejam criadas tais condições. Temos de preparar as pessoas e os nossos professores devem sentir o apoio institucional para desenvolver o ensino à distância”.

Um outro desafio apontado para o próximo ano letivo é a formação de professores para o primeiro ciclo, professores que irão trabalhar até ao 4º ano. É uma necessidade, porque muitas pessoas procuram a nossa faculdade e querem trabalhar nesta faixa etária. “Vamos reforçar também os cursos de Educação da Infância para além das outras ofertas normais que temos todos os anos”. Um outro curso que a Faculdade está a preparar é uma pós-graduação para a docência. “Estamos a preparar algo mais do que esta formação de curta duração de 30 dias. Trata-se de uma oferta de pós-graduação para a docência que é de um ano, em que os participantes recebem toda a preparação na vertente pedagógica. Qualquer licenciado que tenha vontade de vir a lecionar, a trabalhar como professor, pode concorrer para fazer este curso”.

A previsão do arranque é no próximo ano, para poder ter todas as condições reunidas. “Esta formação vai ser online, porque assim poderemos ter as pessoas que estão nas outras ilhas e poderão seguir a formação sem nenhum problema”.

"Outro desafio que temos é relacionado com área do desporto. Através da Faculdade queremos levar o desporto para junto das famílias. Desenvolver o desporto de montanha e náuticos, tirando partido desses dois elementos da natureza próprio das nossas ilhas. Temos também uma novidade que será o curso de licenciatura em educação especial".

 

O setor da Extensão Universitária

Quanto à extensão, o Presidente adiantou que uma das grandes atividades para este ano letivo é a comemoração do Colóquio Internacional de Educação, organizado pela Faculdade. É o 5º Coloquio Internacional de Educação e o objetivo principal é sobretudo discutir os novos desafios em termos de currículo, de tecnologia e formação de professores. Este ano a realização vai ser aqui na Praia: “temos a responsabilidade de organizar e dinamizar todas as atividades. É um colóquio que visa discutir questões de educação, formação, currículo, recurso às tecnologias, etc.” Além disto, na FaED, a atividade de extensão tem sido desenvolvida pelos próprios docentes através dos seus planos semestrais: “eles destacam algumas atividades de extensão que fazemos. Realizamos também a nível da delegação seminários com os estudantes, visitas de estudo e de campo para dinamizar a parte da extensão universitária.”

 

Dois grandes projetos de investigação a caminho

A Faculdade tem estado a participar em projetos de outras instituições que estão a fazer investigação. João Cunha avançou que a Faculdade está a "desenhar dois projetos de investigação: um tem a ver com a questão do ensino das línguas, para vermos a nível do sistema quais são as lacunas e dificuldades, sobretudo dos professores e dos alunos, para depois sabermos como podemos melhorar o nosso currículo de formação de professores de língua; o outro é relacionado com o impacto da Covid-19 na vida dos nossos estudantes". 

 

Uma boa parte dos nossos estudantes acabam por encontrar emprego 

“Uma ideia do projeto que temos em construção é o de fazermos um estudo para ver a questão da empregabilidade dos nossos ex-estudantes. Nós temos informações – que não são estudos – de que uma boa parte dos nossos estudantes acabam por encontrar emprego. Se formos ver a taxa de aprovação nos concursos para docência, a maioria que aparecem nos primeiros lugares são estudantes de formação de professores da FaED. Até o concurso atual está a mostrar que os lugares elegíveis são ocupados por estudantes da FaED. Temos esta preocupação de lançar este projeto para o segundo semestre deste ano letivo, para que em junho termos este estudo feito. Há já uma comissão indicativa a preparar o projeto de investigação para iniciarmos em março/abril e fazer a recolha das informações”.

 

Presidente da Faculdade de Educação e Desporto apela aos colegas da FaED a estarem cientes dos desafios

Por fim, o Presidente da Faculdade de Educação e Desporto, João Cunha, apelou aos colegas da FaED a estarem cientes dos desafios e unirem-se para enfrentarem essa nobre profissão que escolheram. “É isto que somos: formadores de futuros professores. Então, que saibamos orientar a construção dos conhecimentos dos nossos formandos, e sobretudo transmitir valores, ética e deontologia na educação ou seja, influenciar positivamente as suas atitudes, os seus comportamentos, as suas formas de estarem na vida, não se preocupando apenas com o conhecimento teórico, mas, também com o saber-fazer. Só o conhecimento não chega”.