DSC 0295A Faculdade de Ciências Sociais, Humanas e Artes (FCSHA) da Universidade de Cabo Verde organiza uma formação contínua em práticas pedagógicas inovadoras para o desenvolvimento de competências orais em Francês Língua Estrangeira, para os professores de Língua Francesa.

Esta formação realiza-se nos dias 28, 29 e 30 de dezembro, em simultâneo, no Campus do Palmarejo na Praia, no Campus de Cruz Grande em Santa Catarina (Santiago), no Auditório da Faculdade de Educação e Desporto em Mindelo (São Vicente), na Escola Secundária Teixeira de Sousa em São Filipe (Fogo) e em Porto Novo (Santo Antão).

A realização desta formação baseia-se numa parceria entre a FCSHA, o Instituto de Língua Francesa (ILF), a Embaixada de França em Cabo Verde e a Coordenação dos Estudos Franceses (CEF). Na Cidade da Praia, a formação é animada por três professores de francês da Uni-CV, nomeadamente Rosa Martins, Paul Mendes e Daniel Évora; em Cruz Grande, por Marcel Pereira; em Mindelo, por Abderahim Dia; em São Felipe, por José Arlindo Barreto; e em Porto Novo, por Paul Moreno.

O programa divide-se em 11 atividades com o objetivo de trabalhar as técnicas para o desenvolvimento da prática oral nos alunos do Ensino Básico Obrigatório e do Ensino Secundário. Segundo a formadora Rosa Martins, isto é também “uma oportunidade para ouvir os problemas que os professores enfrentam sobre este tema, e discutir em conjunto as soluções que podemos trazer para melhorar a situação”. O professor Paul Mendes destacou que o foco situa-se nas problemáticas ligadas à oralidade, a nível dos suportes de ensino bem como dos métodos de avaliação dos trabalhos orais.DSC 0301

A formação tem cinco componentes principais, nomeadamente:

  1. Reflexão sobre os diferentes modelos de planificação de acordo com os níveis de língua definidos pelo Quadro Europeu Comum de Referência para o ensino das línguas estrangeiras;
  2. Discussão sobre a construção de modelos de fichas pedagógicas inclusivas e práticas;
  3. Apresentação e treinamento de práticas pedagógicas direcionadas para o ensino e a aprendizagem da oralidade;
  4. Apresentação de instrumentos para avaliação da compreensão e produção oral e ateliers práticos;
  5. Construção de uma unidade didática interativa na internet.

Com mais de 90 participantes apenas na cidade da Praia, inclusive alguns provenientes do interior da ilha de Santiago, e 230 em todo o país, os formadores ficaram muito satisfeitos com o impacto e esperam resultados positivos destes trabalhos.