Foto Antonio Silvino Mediante pesquisa quantitativa, de caráter exploratório, com orientação analítico-descritiva, elaboração e aplicação de um inquérito integrado estruturado, com perguntas fechadas, António Silvino Varela Pinto, estudante de doutoramento da Uni-CV, defendeu, no dia 22 de julho de 2021, a sua tese em Gestão e Políticas Ambientais, intitulada “Perceção das Políticas Ambientais nas Estratégias e Práticas Associativas no Concelho de Santa Cruz – ilha de Santiago (Cabo Verde)".

Com a pesquisa, foi possível mostrar que 42,4 e 24,2% dos membros das associações têm, respetivamente, uma perceção muito insuficiente sobre as políticas ambientais e que existe uma perceção negativa das políticas ambientais no meio associativo em Santa Cruz.

 

RESUMO

Em Cabo Verde, apesar das melhorias socioeconómicas alcançadas, as associações, sobretudo do Concelho de Santa Cruz, enfrentam situações económicas e financeiras limitadas e dependem dos programas, projetos e políticas governamentais e municipais. As associações deparam com problemas de atuação, formação, informação, empoderamento e pobreza, implicando na inexistência de uma massa crítica que participe de forma ativa e corresponsável no desenvolvimento local e comunitário sustentável. O associativismo é um instrumento importante para que uma comunidade deixe o anonimato e alcance maior expressão social, política, económica e cultural, particularmente, potenciando a participação na implementação das políticas públicas ambientais. O trabalho de pesquisa visou avaliar a perceção das políticas públicas ambientais nas estratégias e práticas associativas, no Município de Santa Cruz, Ilha de Santiago (Cabo Verde).

Metodologicamente, apoiou-se na literatura para constituir o referencial teórico e utilizou-se uma pesquisa quantitativa, de caráter exploratório, com orientação analítico-descritiva, mediante a elaboração e aplicação de um inquérito integrado estruturado, com perguntas fechadas. O inquérito foi aplicado, na forma de entrevista, a 33 sujeitos, membros associativos, das 3 zonas administrativas do Concelho de Santa Cruz,

criteriosamente selecionados nos meios urbano, rural e misto, acautelando a questão do género. O tratamento estatístico dos dados do inquérito foi realizado com auxílio do programa SPSS e com suporte bibliográfico.

Os resultados mostram que 42,4 e 24,2% dos membros das associações têm, respetivamente, uma perceção muito insuficiente e insuficiente sobre as políticas ambientais, tendo igualmente sido verificado, comparativamente, uma maior média dos conhecimentos das antigas políticas ambientais (M = 1,91; EP = 0,118) do que a média das informações sobre as atuais políticas ambientais (M = 1,79; EP = 0,104), nos membros das associações locais.

O estudo concluiu que existe uma perceção negativa das políticas ambientais no meio associativo em Santa Cruz. Visando a evolução para uma perceção positiva das políticas ambientais no meio associativo em Santa Cruz, recomenda-se, entre outras iniciativas: trabalhar nas questões relacionadas com as informações e conhecimentos das políticas públicas ambientais, em cada localidade, essenciais para desenvolver uma perceção, com reflexo direto na participação e no empoderamento dos associados nos projetos, planos e programas, desde o início; criação de Clubes Locais Ambientais (CLA), com o enfoque nos aspetos económico, social, ambiental e cultural, envolvendo as comunidades locais; realização de estudo da perceção do Meio, antes da elaboração e/ou implementação de qualquer projetos, programas e políticas do Governo e da Câmara Municipal; e promover a Governança Participativa/Colaborativa.