cortada

Melhorar a informatização e comunicação da comunidade de professores investigadores, dos cursos de pós-graduação e dos núcleos de investigação é um dos objetivos da Pró-Reitoria para Pós-Graduação e Investigação. No seguimento deste objetivo, estão em curso diversas atividades, algumas já concretizadas e que já beneficiaram à Uni-CV: novos centros de investigação, um maior número de pós-graduações e uma grande aposta na dinamização da ligação das empresas com a Universidade, através de realização de workshops para divulgação dos Projetos de Investigação Científica, inovação e empreendedorismo.

Uni-CV: Como tem sido a agenda da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Investigação estes dois últimos anos?

Sónia Silva Vitória: A Pró-Reitoria para a Pós-Graduação e Investigação, nos últimos dois anos, coordenou juntamente com as Faculdades e Escolas da Universidade de Cabo Verde, Estudos de Pós-Graduação e Investigação, incluindo a mobilidade internacional da Bridgewater State University e da CAPES/AULP, a criação de Unidades de Investigação, bem como as atividades desenvolvidas no âmbito da implementação da Unidade de Promoção da Inovação, realizadas pelos pontos de contacto nacionais para o Programa Quadro da União Europeia H2020.

Em termos de política editorial, estamos a retomar a edição da Revista de Ciência e Tecnologia (RCT); retomar a edição Revista de Estudos Caboverdianos (REC); vamos publicar a Revista de Divulgação Científica – onde constam resumos de trabalhos científicos referentes a 2014/15, e entrevistas realizadas a investigadores da Uni-CV.

Estamos a implementar juntamente com o setor da Extensão Universitária, o Centro de Empreendedorismo e Prestação de Serviços, Unidade de Promoção de Inovação da Uni-CV, do Campus do Mar e do Instituto Nacional do Desenvolvimento das Pescas, um sistema de inovação que vai permitir desenvolver a transferência do conhecimento e a criação de spin-offs no setor marinho. Esta iniciativa vai ser também desenvolvida para o setor agroalimentar. Sucessivamente pretendemos implementar em outras áreas como as Tecnologias de Informação e Comunicação, Geociências, Cartografia, entre outros.

Uni-CV: E quanto ao Programa de Estudos de Pós-Graduação?

SSV: Foi dada continuidade ao Programa de Estudos de Pós-Graduação iniciado no ano letivo 2014/15 e 2015/2016, tendo a nova oferta formativa da Pós-Graduação sido integrada no âmbito da preparação do ano letivo 2016/17, no pacote das novas ofertas formativas da Universidade de Cabo Verde. Os novos cursos de Pós-Graduação vão ao encontro das aspirações e desafios da sociedade, e sempre tendo em conta as necessidades em quadros qualificados e a elevação do nível educativo, cultural e científico, bem como o fomento da investigação científica, fundamental e aplicada.

Outro dos incentivos da Pró-Reitoria na Uni-CV advém da necessidade da cada vez maior internacionalização da Universidade que passa pela cooperação internacional e integração em redes de excelência para a ciência e conhecimento.

Centralizámos os principais eixos de desenvolvimento da Pós-Graduação em: definir novas áreas científicas e linhas de investigação nos cursos de Pós-Graduação na Uni-CV; definir e consolidar as parcerias estratégicas no domínio das Pós-Graduações, de acordo com as prioridades e estratégia da Uni-CV; criar mecanismos de articulação entre a pós-graduação e a investigação através de programas de iniciação científica endógenos (CIGEF e Laboratório de Pesquisa em Ciências Sociais e recentemente no NUBIOM); criar programas internacionais de formação avançada (ex. Programa de Doutoramentos em Gestão e Políticas Ambientais, Oceanografia e Recursos Marinhos e na reedição das Ciências Sociais); reforçar a participação de docentes e discentes na pró-mobilidade através dos programas CAPES/AULP, BSU e Erasmus Mundus, que permitam incrementar e redinamizar a mobilidade académica e realização de estágio doutoral e pós-doutoral. Foram igualmente abertos cerca de onze novos cursos de Pós-Graduação (Mestrado e Doutoramento).

Uni-CV: No setor da investigação, que trabalho foi feito?

SSV: A nível da investigação, foi possível a criação de novas unidades de investigação (Laboratório de Pesquisa em Ciências Sociais, TWINLAB-Uni-CV/CIBIO-UP, Cátedra Eugénio Tavares de Língua Portuguesa, Centro Internacional de Investigação Climática e Aplicações para a CPLP e África – CIICLAA, Centro de Estudos e Formação Avançada em Património e Desenvolvimento, implementação do CIGEF no Mindelo e Grupo de Estudos Multidisciplinar da ENG); realizou-se o levantamento e integração em base de dados dos projetos de investigação (individuais ou em grupos de pesquisa) em curso, bem como à análise dos circuitos e procedimentos instalados de acompanhamento e gestão dos projetos, Foram fixados os seguintes objetivos para a política de coordenação da investigação: elaborar um plano de ação para a investigação; consolidar os programas e projetos em curso; reforçar a nossa participação nas convocatórias internacionais, tais como HORIZON 2020, MAC (2014-2020), ERASMUS MUNDUS E PLUS, CAPES/AULP, MCTI/CNPq, o Programa Fullbright; e participar nas Redes de investigação (AULP, REALP, FORGES, PRCM, RETI, RETS, UNAMUNO, RIICA e AUF).

Apoiar o envolvimento de docentes e estudantes nas Unidades de investigação através de informações de editais/convocatórias;Redinamizar o repositório científico da Biblioteca da Universidade, com vista à promoção da investigação e proporcionar atividades de transferência de conhecimento e de apoio à inovação na Uni-CV.

No âmbito da produção e difusão de conhecimentos a Pró-Reitoria deu apoio na organização e participou de uma série de conferências e seminários internacionais em parceria com outras instituições do País e do estrangeiro (ex. do CIGEF e do CIDLOT, I Jornadas das Ciências da Terra e da Vida, AULP, REALP, Conferência sobre a Erupção Vulcânica; Oceanografia – IOC/UNESCO-Paris, Dia Nacional da Cristalografia- UNESCO). E atualmente na organização do Congresso de Geologia dos PLiP em finais de novembro de 2016.

Foram realizadas participações em várias sessões de esclarecimento do Programa Quadro da União Europeia – Horizon 2020, e nomeados pelo MESCI, dois pontos focais da UniCV, para as áreas da Energia e TIC. A Uni-CV e a ADEI em parceria com a ULPG/FULP, no marco do projeto UPInnovaCAV, criou-se a Unidade de Promoção de Inovação (UPI), sedeada na Uni-CV.

Uni-CV: Relativamente ao trabalho realizado durante a erupção vulcânica na ilha do Fogo?

SSV: Participámos nos trabalhos de coordenação e seguimento da erupção vulcânica de 2014/15 com uma equipa multidisciplinar da UNICV/ITER/INVOLCAN e SNPC, bem como várias missões à ilha do Fogo, com investigadores de institutos das Canárias, Inglaterra, Alemanha e Itália. Além disso, também participámos no European Geociences Union General Assembly (EGU) com 10 trabalhos científicos sobre a vulcanologia e geoquímica. Na fase atual já temos dois artigos aprovados (em co-autoria) e um artigo em autoria (em elaboração).

Uni-CV: Qual prevê que seja o futuro para o seu setor?

SSV: Até 2017/18, a abertura de 28 Pós-Graduações em todas as unidades orgânicas da Universidade de Cabo Verde e a perspetiva de abertura de mais cinco unidades de investigação (em discussão e preparação dos projetos). A implementação de um Gabinete de Gestão de Projetos: apresentam-se novas perspetivas de realização de projetos de investigação em parceria com instituições nacionais e internacionais, enquadrados a maior parte nas candidaturas POMAC (2014-2020) com cerca de 40 projetos subscritos e no HORIZON 2020, com vista a dinamizar os Centros e em especial os Núcleos de Investigação.

Além destas atividades, queremos instalar a Cátedra Baltasar Lopes da Silva, que já possui despacho de criação; atualizar o link das Pós-Graduações, com referência aos Mestrados e Doutoramentos em vigor e respetivos planos de estudo, deste modo serão destacadas as notícias e principais acontecimentos; elaborar relatórios trimestrais ou semestrais que permitam a comunicação institucional e conhecer o desenvolvimento da lecionação e investigação referente às aulas seminários, entre outras atividades dos Mestrados; dinamizar o Repositório Digital junto da DSDE – com a criação do Programa “Divulgar a Ciência”, a elaboração de um regulamento próprio e de uma comissão de seguimento; divulgar a Unidade de Promoção da Inovação (UPI); atualizar o link da investigação no sentido de promover a inserção das sínteses dos curriculum vitae de todos os professores – investigadores, com referência aos editais para projectos de investigação e cooperação, resumos e artigos científicos, deste modo serão destacadas as notícias e acontecimentos neste espaço digital; realizar um workshop para divulgação dos projetos de investigação científica; elaborar um regulamento único para a Pós-Graduação; elaborar um regulamento único para a investigação, que promova a articulação e a integração com o ensino e a extensão na Uni-CV.

Uni-CV: O que considera que poderá ser melhorado no seu setor?

SSV: É necessário uma melhor articulação entre os coordenadores das áreas científicas/cursos e projetos com os Conselhos Diretivos e a Pró-Reitoria para a Pós-Graduação e Investigação no circuito de documentos e procedimentos administrativos.

Um dos maiores desafios são os recursos financeiros internos para desenvolver a investigação, sem estar sempre dependente de fundos internacionais, sendo que a criação de um fundo para a investigação ou a criação de uma Fundação para a Ciência, iria beneficiar em muito o sector. Mas também a cada vez maior necessidade de se ter um maior domínio das línguas como suporte à escrita científica e uma maior aproximação da sociedade à ciência, no sentido de apoiar na resolução de alguns problemas e desafios da nação.