Foi registado um aumento na emissão de dióxido de carbono ( CO2) para a atmosfera, pelo vulcão do Fogo, durante a campanha científica feita recentemente, enquadrada no âmbito do acordo de colaboração entre a Universidade de Cabo Verde e o Cabildo Insular de Tenerife
Cientistas do Instituto de Vulcanologia Canarias ( INVOLCAN ) , impulsionado - corpo Cabildo Insular de Tenerife, viajou para Cabo Verde em Março último de 2014, com o objectivo de realizar várias actividades específicas relacionadas com o acordo de cooperação científica entre o Cabildo Insular, universidade de Tenerife e de Cabo Verde (Uni -CV ) para o período 2011-2014 promovido pelo Departamento de Relações Exteriores do Cabildo Insular, de reforçar as capacidades de jovens universitários cabo-verdianos .

Uma dessas actividades específicas nesse recente campanha científica INVOLCAN Cabo Verde, desenvolvido em conjunto com a Universidade de Cabo Verde foi projectado para atender a emissão difusa de dióxido de carbono (CO2) para a atmosfera, pela cratera Pico do Fogo vulcão ( 0.142 km2 ) . Desde Março de 2010, uma média de 93 toneladas por dia de dióxido de carbono (CO2) emitido para a atmosfera pela cratera do vulcão Pico do Fogo é difundida, com um intervalo de valores observados de 23-186 toneladas por dia foi gravado durante nos últimos 4 anos.
Durante esta recente pesquisa científica Março de 2014, houve um aumento significativo neste emissão difusa silenciosa de dióxido de carbono (CO2 ), atingindo 327 toneladas por dia , cerca de 3,5 vezes o valor médio verificado durante os últimos 4 anos . Estes resultados Março 2014 reflectem um aumento de 3,5 vezes o valor médio registado nos últimos anos, o que sugere uma maior contribuição do dióxido de carbono (CO2) de origem profunda para estas emissões difusas e silencioso como um resultado do aumento da pressão de dióxido de carbono (CO2) no sistema vulcânico - hidrotermal do vulcão Pico do Fogo.

O programa de monitoramento de vulcão geoquímica para Cabo Verde estabelecido pelo Observatório Vulcanológico de Cabo Verde ( OVCV ) - um por Universidade de Cabo Verde, entidade dirigida, o Serviço de Protecção Civil ( SNPC ) de Cabo, o ITER e INVOLCAN - mostra que este tipo de pesquisas científicas na cratera do vulcão Pico do Fogo executado em uma base mensal durante os períodos de estabilidade sísmica vulcânica. Razões para materializar este tipo de estudos científicos periódicos surgem da incapacidade de obter tais informações, de interesse para os programas de monitoramento de vulcão, por meio de redes instrumentais permanentes, estar convencido de que os gases são forças motrizes das erupções vulcânicas e a importância de monitorar o dióxido de carbono (CO2) em programas de monitoramento de vulcões. Este interesse é devido ao dióxido de carbono ( CO2 ) é o segundo componente mais importante dos gases vulcânicos após o vapor de água , e é caracterizada pela sua baixa solubilidade em fundido requerida ( magma ) fazendo este gás se escape com a facilidade de sistemas vulcânicos de profundidade.
Pico do vulcão do Fogo ( 2.829 metros de altura ) é o vulcão mais activo da região da Macaronésia.

Pin It