Oficina sobre a Pesca Artesanal entre Cabo Verde e Brasil

VER GALERIA

A Universidade de Cabo Verde realizou uma oficina sobre estratégias e políticas para Pesca Artesanal entre Brasil e Cabo Verde, esta segunda-feira, dia 15 de maio, na sala 115 do Campus do Palmarejo, Cidade da Praia.

O objetivo da oficina foi discutir as estratégias de parcerias na área de Pesca Artesanal entre Brasil e Cabo Verde, que envolvam pesquisa, intercâmbios temáticos e realização de seminários.

A abertura oficial foi realizada pela Pró-reitora para Pós-Graduação e Investigação, professora Doutora Sónia Silva, que agradeceu a Dr.ª Katia Barros, assessora da Comissão Nacional de Fortalecimento das Reservas Extractivistas e dos Povos Tradicionais Extractivistas Costeiros e Marinhos (CONFREM), Brasil, pela dinâmica e iniciativa do projeto sobre estratégias e políticas para Pesca Artesanal entre Brasil e Cabo Verde, que envolverá docentes, investigadores, estudantes de diferentes áreas.

“Nós entendemos que a pesca artesanal tem um grande domínio para desenvolvimento das ilhas de Cabo Verde, que envolve várias áreas temáticas desde as ciências sociais, humanas até as ciências naturais começando pela biologia e biodiversidade”, avançou a Pró-reitora para Pós-Graduação e Investigação.

“Esta oficina é uma iniciativa da CONFREM que visa fomentar um diálogo interdisciplinar na área de pesca, com possibilidades de incrementar projetos de intercâmbio sobre a pesca artesanal, envolvendo outras instituições parceiras como o GEDMMA - Grupo de Estudos: Desenvolvimento, Modernidade e Meio Ambiente vinculado a Universidade Federal do Maranhão”,  afirmou a docente da Uni-CV, Professora Doutora Lourdes Gonçalves.

A CONFREM Brasil, tem como missão desenvolver, articular e implementar estratégias visando o reconhecimento e a garantia dos territórios extrativistas tradicionais costeiros e marinhos na dimensão social, cultural, ambiental e económica, garantindo os seus meios de vida e produção sustentável e representa cerca de 250 mil famílias extrativistas da zona costeira e marinha.

A iniciativa reuniu pesquisadores da Universidade de Cabo Verde, estudantes de Doutoramento em Gestão e Políticas Ambientais, Técnicos da Direção Nacional de Ambiente e representantes de ONGs como a MORABI.

 

Pin It