IMG 0268

O professor da Universidade de Cabo Verde Daniel Évora defendeu a sua tese de doutoramento nas provas públicas, no dia 3 de Dezembro, na Universidade de Orléans, em França.

A defesa da tese de doutoramento em Ciências da Linguagem (Sociolinguística e Contato de Línguas) contou com a presença do Professor Doutor Michel Lesourd.

Conheça um resumo do tema:


Competência linguística e percurso pessoal
O caso dos cabo-verdianos do arquipélago e da diáspora
 
Estado insular localizado ao largo da costa do Senegal e da Mauritânia, Cabo Verde foi povoado a partir do final do século XV por colonos europeus e escravos africanos. Ele herdou desta história, uma situação de diglossia onde o português é a língua oficial, enquanto o crioulo, agora chamado de “língua cabo-verdiana” – nascido de contatos linguísticos luso-africanos – é o veículo da expressão diária. A história da sociedade cabo-verdiana está também enraizada na da emigração e da mobilidade nacional e internacional. Se as condições climáticas têm levado muitos cabo-verdianos para o exílio, em África bem como na Europa ou nos Estados Unidos, as deficiências estruturais também têm estimulado a migração constante dos ilhéus em todo o mundo.

A partir de pesquisas realizadas em Cabo Verde e em França, são estudadas as diferenças de competências linguísticas entre os cabo-verdianos que adquiriram a(s) sua(s) língua(s) em cada um desses países. A análise baseia-se principalmente nos seus percursos pessoais e dedica especial atenção às formas de bilinguismo dos participantes. As observações centram-se a priori no crioulo, no português e no francês, e levam em conta produções orais espontâneas e induzidas e produções escritas, que são indicativos da competência oral.

Pin It